The Hard Thing About Hard Things (O lado difícil das situações difíceis)

Ben Horowitz.

Gostei bastante do livro. É uma pena que não tenha encontrado ele em 2018!

Ser o diretor executivo de uma empresa, ou melhor de uma startup, não é um trabalho fácil. Quem foi, é ou ‘está sendo’ sabe bem o que estou dizendo.

Horowitz conta como foi sua trajetória como empreendedor na área de tecnologia justamente no ano que a bolha das .com estourou. Isso foi em março de 2000. Muitos não viveram esse momento, mas para quem, como eu, presenciou a desvaloização em massa de praticamente todas as empresas de tecnologia, principalmente as listadas na bolsa, sabe que a situação não foi fácil.

Ele criou a empresa em 1999 e vendeu ela em 2007 para a HP por R$ 1,6 bilhão de dólares. Nesse período teve que superar muitos obstáculos e compartilha as reflexões e decisões que tomou.

Como fui CEO da BPP entre 2013 e 2018, pude me colocar em diversas situações descritas por ele no livro. Eu gostei bastante e compartilho alguns pontos que me chamaram a atenção.

Se você vai criar uma startup

Que o produto dela seja pelo menos 10 vezes melhor do que o principal produto disponível no mercado. Isso não vale apenas para que a adoção do produto seja mais rápida, mas também para facilitar o domínio do mercado. Dominar é importante porque outras empresas podem estar tentando fazer o mesmo e ser o primeiro é importante, porque derrubar um novo lider é muito mais difícil do que derrubar o velho.

Cuide das pessoas, dos produtos e dos lucros – nessa ordem

Ben Horowitz

Métricas

Cuidado ao estabelecer métricas porque se não forem bem definidas podem levar sua turma a executar algo que não era o que você queria.

Vendas é a cara da empresa

A área de vendas é a parte da empresa que todo mundo vê, portanto, se você tem equipe de vendas certifique-se de que eles estão alinhados com os interesses da empresa.

A startup cresceu

A medida que a startup cresce fica mais difícil agregar novos engenheiros na equipe, porque a curva de aprendizado se torna cada vez mais ingreme. É nesse momento que a especialização se torna necessária.

Olhe para onde está indo, não para aquilo que quer evitar.

Ben Horowitz

3 pontos importantes da liderança

Formular e comunicar uma visão, alinhar interesses e realizar a visão.

Os três são importantes, mas destaco que alinhar os interesses, em especial com os investidores e a realização foram os mais difíceis para mim.

O bom e o mau gerente de produto

Texto muito bom que ajuda no treinamento e orientação para o Gerende de Produto – vale a leitura. De forma resumida ele é o CEO/Diretor Executivo do produto.

Conclusão

Para concluir, ele reflete que para um empreendedor as duas principais características são ingeligência e coragem.

Ingeligência dispensa comentários, mas a coragem é necessária, porque criar uma startup do zero é um trabalho herculo. Considerando que os avanços tecnológicos de hoje diminuiram muito o patamar financeiro necessário para abrir uma nova empresa, sobra a coragem para empreeender e persistir. Porque em vários momentos você vai pensar em desistir!

Vale a pena a leitura.

Open Finance e o Iniciador de Pagamentos

Dia 24 de Março de 2022, na Resolução Conjunta No 4 de 24/3/2022, o Bacen formalmente muda o nome da iniciativa do Sistema Financeiro Aberto, antes denomidado de Open Banking, para Open Finance.

Art. 1º  O Sistema Financeiro Aberto de que trata a Resolução Conjunta nº 1, de 4 de maio de 2020, e demais atos normativos que disciplinam o tema, passa a ser denominado Open Finance.

Resolução Conjunta 4 de 24/03/2022

Iniciador de Pagamentos

Inicialmente o ITP (Iniciador de Transação de Pagamentos) vai poder iniciar transações de Pix, portanto, segue abaixo as alterações nas normas do Pix para acomodar as ações do ITP.

A lei que definr o Arranjo e a Regulamentação do Pix é a Resolução BCB No 1 de 12/8/2020.

Destaco abaixo as mudanças relevantes:

O PSP dententor de conta deverá seguir os mesmos procedimentos já utilizados quando seu cliente, utilizando seus canais tradicionais, realiza um Pix.

Por outro lado o Iniciador tem responsabilidade no controle de fraudes, veja abaixo.

  • Pix Agendado – Onde o PSP detentor da conta mantém retido o Pix até a data agendada; (Art. 9, § 3)
  • Limites – O PSP detentor da conta deve manter suas regras de limites de envio de Pix, mesmo o Pix sendo iniciado por um ITP; (Art 37, § 2)
  • Fraude
    • O PSP detentor da conta pode rejeitar uma transacão quando houver fundada suspeita de fraude (entre outros motivos); (Art 38, II)
    • O ITP identificar fundada suspeita de fraude; (Art 38, II e Art 37-A)

Portanto, o ITP também tem suas responsabilidades no processo.

Assinatura Digital no Mac

Se você é como eu e está tendo dificuldades para realizar assinatura digital (ICP Brasil) no seu Mac, eu tenho uma solução para você.

O tutorial abaixo me ajudou a resolver a assinatura no Acrobat e no Firefox.

São 3 passos para resolver seu problema.

Passo 1 – Instalar o drive corretamente

Mac Catalina, Big Sur ou Monterey, usar esse link.

Mac Mojave e High Sierra, usar esse link.

Mac Sierra ou anterior, usar esse link.

obs: lembrando que meu Mac está com Catalina e não fiz o teste nas demais versões;

Passo 2 – Reiniciar

Depois de instalar o drive acima reinicie seu Mac.

Passo 3 – Configurar

No Acrobat Reader -> Preferences -> Signatures -> Identities & Trusted certificates -> More… -> Digital IDs -> PKCS # 11 Modules and Tokens -> Attach Module e copie o caminho: /usr/local/lib/libeTPkcs11.dylib

Depois de anexar a biblioteca, no passo acima, selecione a posição Safenet eToken PKCS#11 que aparece em PKCS#11 Modules and Tokens, selecione Login (no painel da direita) e entre com a senha/pin do seu token.

Selecione o rótulo do token (nome) no painel esquerdo, depois certificado que apareceu no painel direito e escolha Usage Options -> Use for Signing (usar para assinatura).

Esses passos devem resolver também seu certificado no Firefox. Se não resolver, faça o seguinte:

Ferramentas -> Privacidade e Segurança -> Certificados -> Dispositivos de Segurança e adicione a biblioteca usando o seguinte caminho: /usr/local/lib/libeTPkcs11.dylib

Web3

Excelente texto do professor Scott Galloway.

De forma resumida ele contesta as ‘vantagens’ da descentralização e toda aquele ‘romance’ que se cria em torno deste conceito.

Sem contar que faz referência ao Sistema 1 descrito no livro do premio nobel de Economia, Daniel Kahneman! (muito bom)

Por outro lado, blockchain tem algumas vantagens. Já pensou que pode receber todas as vezes que usarem seus dados?

Somos peões em um jogo?

Você realmente acha que toma decisões racionais?

Eu respondia sim antes de ler esse livro.

Previsivelmente irracional, Dan Ariely, 2008/2009.

Esse foi o último livro que li em 2021 e posso garantir que é um dos melhores livros que já li sobre tomada de decisão, psicologia e comportamento.

A leitura do livro não garante que você será mais racional quando estiver tomando a próxima decisão, mas certamente vai te deixar mais consciente das decisões tomadas.

O livro desvenda os segredos de nossas decisões, em especial quando tratamos com dinheiro.

A conclusão é simples, somos tão previsíveis em nossas ações e respostas diante dos desafios cotidianos que chega até ser perturbador.

Com exemplos de diversos estudos e pesquisas o autor navega por diversas situações demonstrando como somos irracionais nas nossas decisões. Começando pela relatividade, passando por oferta e demanda, preço zero, normas sociais, excitação, procrastinação entre outros.

No total são 15 capítulos que vão tirar você da escuridão, mas isso não significa que depois de ler o livro suas decisões serão racionais!

Termino com uma frase do autor.

Sócrates disse que a vida não examinada não vale a pena ser vivida. Talvez esteja na hora de inventariar as cunhagens e as âncoras de nossa própria vida.

Ariely, Dan. Previsivelmente irracional (p. 65). Sextante. Kindle Edition.

ITP será responsável pelo Push Payments no Brasil?

Benefícios, desafios e riscos envolvendo essa nova modalidade de Instituição de Pagamento.

O que é Push/Pull Payments?

Pull Payments é a modalidade onde o recebedor inicia a transação de ‘puxar’ o dinheiro da sua conta. (Pull = Puxar)

Esse é o modelo tradicional que existe em praticamente todo o mundo. Quando você paga com cartão, você compartilha dados do cartão que são utilizados para que o recebedor vá até seu banco e solicite (pull) o pagamento.

Push Payments é a situação onde o pagador inicia a transferência do dinheiro para a conta final do recebedor. (Push = Empurrar)

Novo meio de pagamento = Pix

Muito embora já existam modelos de pagamento por TED, Transferência interna e Boleto, o Pix é quem deixou esse ambiente mais popular, visto que desde Março de 2021 (5 meses de operação – Pix começou em Novembro/20) ele sozinho já supera todos os outros em quantidade. (estatística bacen)

Transações suaves (sem fricção ou fáceis) e confiáveis são essenciais para o comércio em geral. Quem vende precisa ter segurança de que seus clientes vão conseguir realizar o pagamento prometido em tempo hábil. Por outro lado, os clientes precisam ter segurança de que seus dados estão seguros.

O Pix, como nova forma de pagamento vem facilitando muito esse ambiente de transações. Por ser um ‘pagamento instantâneo’, o dinheiro sai da conta de quem está pagando, para a conta de quem vai receber. No entanto, hoje o recebedor é em geral um ecommerce, um credenciador, ou algum PSP que concentra os pagamentos entre outros serviços.

Em geral, utilizando o aplicativo mobile do banco onde você tem conta, você lê o QR Code do Pix gerado no checkout de um ecommerce e aprova o pagamento. Mas como ler um QR Code se você estiver utilizando o celular para fazer a compra? (no Brasil essa modalidade já é a maioria!)

Iniciador de Transações de Pagamento (ITP) é o novo Push Payments

Pagamentos instantâneos, como o Pix, só habilitam o pagamento por Push (empurrado). O ITP vai ajudar na experiência e segurança das transações de pagamento no Brasil, em especial os pagamentos instantâneos. (mais sobre o ITP aqui)

No exemplo do QR Code Pix acima, o checkout do ecommerce, vai poder contar com o ITP no redirecionamento do cliente para a instituição onde ele detém conta para aprovar o pagamento, ou seja, não será necessário ler o QR Code, você só autoriza seu banco a fazer o pagamento, de forma simples, rápida e segura.

O ITP é uma inovação e nenhuma inovação vem sem desafios. Todo novo desenvolvimento exige ajuste antes que os clientes e as empresas estejam prontos para fazer uso total deles.

Os pagamentos instantâneos via Push (empurrados), que antes eram utilizados de forma restrita por empresas para pagamento de salários e fornecedores, podem estar prestes a terem uma explosão de utilizações.

Os ITPs, com o papel de fomentador da adoção, vão poder fornecer a todas as partes (quem paga e quem recebe) maior certeza de que as informações de pagamento estão seguras e, por outro lado, garantir que o pagamento foi realizado.

Iniciador de Transação de Pagamentos (ITP)

ITP Iniciador de Transação de Pagamentos ou PISP (Payment Initiation Service Provider)

O ITP é uma nova modalidade de IP (Instituição de Pagamento) criada no escopo do Open Banking. Em inglês PISP (Payment Initiation Service Provider).

Se você ainda não sabe bem o que é o Open Banking, veja este post.

O ITP pode iniciar transações de pagamento por conta e ordem do usuário detentor de uma conta de depósito ou de pagamento.

ITP

  • Resolução BCB Nº 80, DE 25 DE MARÇO DE 2021 – Doc / Link
  • Instrução Normativa BCB nº 128, de 22 de julho de 2021 (atualizada pela IN BCB No 176, DE 21 DE OUTUBRO DE 2021) – Doc / Link
  • Novo Tipo de IP (Instituição de Pagamentos)
    • Capitulo II, Art. 3º, IV
  • Não gerencia conta de pagamento e não participa do fluxo financeiro de liquidação das transações iniciadas ou seja não detém em momento algum os fundos transferidos na prestação do serviço
    • Capitulo II, Art. 3º, IV
  • Precisa de autorização prévia do Banco Central, porém o processo é simplificado
    • Capitulo IV, Art. 9º
  • Requisitos
    • Capital Social mínimo de 1 Milhão de Reais; – Capitulo VII, Art. 17º, II
    • Patrimônio Liquido ajustado com base nos últimos 12 meses de operação (1% a 1,5%)
  • É responsável por eventuais fraudes, junto com o IDC (Instituição Detentora de Conta) ou ASPSP (Account Servicing Payment Service Provider)
  • Deve ter seu próprio mecanismo antifraude
  • Manter e evoluir as APIs de acordo com a agenda evolutiva
  • Necessita estar homologado no Pix
    • Definir tipos de iniciação, teste Dict e QR Tester – IN BCB 128;
  • Pode definir os produtos, ex: pessoa natural todos os tipos etc

Open Banking ou Open Finance (Negócios)

Uma visão de negócios sobre o que o Open Banking trará para o Brasil.

O que é?

“O Open Banking, ou sistema financeiro aberto, é a possibilidade de clientes de produtos e serviços financeiros permitirem o compartilhamento de suas informações entre diferentes instituições autorizadas pelo Banco Central e a movimentação de suas contas bancárias a partir de diferentes plataformas e não apenas pelo aplicativo ou site do banco, de forma segura, ágil e conveniente.”

Banco Central do Brasil

“O Open Banking, ou sistema financeiro aberto, propicia o compartilhamento padronizado de dados e serviços por meio de APIs (Application Programming Interfaces) por parte de instituições financeiras e demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil. No caso de dados de clientes (pessoa física ou jurídica) é o cliente que decidirá quando e com quem ele deseja compartilhá-los no escopo do Open Banking, desde que seja com finalidades específicas e prazos determinados.”

Open Banking Brasil

Mas antes de entrar no detalhe, vamos deixar claro o que significa Open Banking, na prática.

O melhor exemplo que me ocorreu é a analogia com e-mail, sim, e-mail. Explico por que:

Você certamente conhece alguém que tem email no GMail e utiliza o Outlook.

O Outlook oferece a experiência e o GMail o serviço.

No Open Banking será o mesmo. Você pode ter conta em qualquer banco e utilizar o aplicativo que mais te agrada (experiência) para fazer todas as suas operações.

O Open Banking vai fortalecer dois grandes pilares: serviço X experiência.

Escolha onde será sua batalha!

Benefícios

  • Novos Modelos de Negócio
  • Inclusão de Segmentos Desassistidos
  • Consumidor no Centro
  • Maior Transparência
  • Portabilidade de Relacionamento entre Instituições
  • Controle sobre suas finanças

Open Banking no Brasil

Será dividido em 4 grandes fases.

Fase 1 – Compartilhamento de canais de atendimento e produtos;

Fase 2 – Compartilhamento de dados cadastrais e transacionais;

Fase 3 – Iniciação de transações de pagamento; (na ordem, Pix, TED e transferência interna, Boletos e Débito em Conta)

Fase 4 – Compartilhamento de produtos de investimentos, previdência, seguros, câmbio entre outros;

10/Nov/2021 – Fase 1 e 2 em produção, Fase 3 em andamento, Fase 4 planejado;

Participantes

https://openbankingbrasil.org.br/quem-participa/

Regulamentação

Resolução Conjunta nº 1, de 4 de maio de 2020 – Link

Mais regulatório.

Glossário

ITP – Iniciador de Transação de Pagamentos // PISP (Payment Initiation Service Provider)

IDC – Instituição Detentora de Conta // ASPSP (Account Servicing Payment Service Provider)