ITP será responsável pelo Push Payments no Brasil?

Benefícios, desafios e riscos envolvendo essa nova modalidade de Instituição de Pagamento.

O que é Push/Pull Payments?

Pull Payments é a modalidade onde o recebedor inicia a transação de ‘puxar’ o dinheiro da sua conta. (Pull = Puxar)

Esse é o modelo tradicional que existe em praticamente todo o mundo. Quando você paga com cartão, você compartilha dados do cartão que são utilizados para que o recebedor vá até seu banco e solicite (pull) o pagamento.

Push Payments é a situação onde o pagador inicia a transferência do dinheiro para a conta final do recebedor. (Push = Empurrar)

Novo meio de pagamento = Pix

Muito embora já existam modelos de pagamento por TED, Transferência interna e Boleto, o Pix é quem deixou esse ambiente mais popular, visto que desde Março de 2021 (5 meses de operação – Pix começou em Novembro/20) ele sozinho já supera todos os outros em quantidade. (estatística bacen)

Transações suaves (sem fricção ou fáceis) e confiáveis são essenciais para o comércio em geral. Quem vende precisa ter segurança de que seus clientes vão conseguir realizar o pagamento prometido em tempo hábil. Por outro lado, os clientes precisam ter segurança de que seus dados estão seguros.

O Pix, como nova forma de pagamento vem facilitando muito esse ambiente de transações. Por ser um ‘pagamento instantâneo’, o dinheiro sai da conta de quem está pagando, para a conta de quem vai receber. No entanto, hoje o recebedor é em geral um ecommerce, um credenciador, ou algum PSP que concentra os pagamentos entre outros serviços.

Em geral, utilizando o aplicativo mobile do banco onde você tem conta, você lê o QR Code do Pix gerado no checkout de um ecommerce e aprova o pagamento. Mas como ler um QR Code se você estiver utilizando o celular para fazer a compra? (no Brasil essa modalidade já é a maioria!)

Iniciador de Transações de Pagamento (ITP) é o novo Push Payments

Pagamentos instantâneos, como o Pix, só habilitam o pagamento por Push (empurrado). O ITP vai ajudar na experiência e segurança das transações de pagamento no Brasil, em especial os pagamentos instantâneos. (mais sobre o ITP aqui)

No exemplo do QR Code Pix acima, o checkout do ecommerce, vai poder contar com o ITP no redirecionamento do cliente para a instituição onde ele detém conta para aprovar o pagamento, ou seja, não será necessário ler o QR Code, você só autoriza seu banco a fazer o pagamento, de forma simples, rápida e segura.

O ITP é uma inovação e nenhuma inovação vem sem desafios. Todo novo desenvolvimento exige ajuste antes que os clientes e as empresas estejam prontos para fazer uso total deles.

Os pagamentos instantâneos via Push (empurrados), que antes eram utilizados de forma restrita por empresas para pagamento de salários e fornecedores, podem estar prestes a terem uma explosão de utilizações.

Os ITPs, com o papel de fomentador da adoção, vão poder fornecer a todas as partes (quem paga e quem recebe) maior certeza de que as informações de pagamento estão seguras e, por outro lado, garantir que o pagamento foi realizado.